O que acontece se você não conhece o silêncio

A importância do silêncio… principalmente em tempos difíceis.

Pesquisas e pessoas sábias comprovam que o silêncio pode te proporcionar renovação da saúde física e mental.

Recomenda-se buscar o silêncio em atividades como meditação e até para essas, algumas vezes, inclui-se músicas e ruídos.

Mas como estar em silêncio durante esse tempo de pandemia e estouro de tantas informações?!

Como se livrar de ruídos desnecessários? Pesquisar e usar a tecnologia a nosso favor!

Primeiro, a busca pelo entendimento dos efeitos do barulho não são recentes, se você buscar, Florence Nightingale — fundadora da enfermagem moderna — comprova que:

Ela apresentou estudos orientando a prática do silêncio para se evitar ruídos inesperados que podem causar reações adversas no nosso corpo, como pressão alta e doenças cardíacas, problemas com o sono, zumbidos e problemas oftalmológicos além de muitos outros problemas mentais.

Diariamente, somos surpreendidos pelas notícias, sons, vozes, telas… julgamentos e observações da bolha em que vivemos. Estar em ausência de ruídos pode ser desafiador. Mas esse não é o problema, o problema é não reconhecer quando o silêncio se faz necessário.

Hoje, o silêncio é tática de sobrevivência.

Como assim? Vou enumerar e exemplificar (veja mais aqui).

  1. presença na realidade: manter os pés no chão. Exemplo: sábado de manhã, você lê mensagens atrasadas, responde o que faz sentido para você. Conversa com seus amigos e família, percebe que os vizinhos estão em festa, lê as notícias e confirma que a pandemia não acabou. Coloca uma música para tentar se distrair e já não conhece enxergar as coisas com clareza. Então, entra a oportunidade do silêncio: para, observa… quem precisa de mim agora e quem eu preciso? Acalma o pensamento, sai da tela, troca a música… recebe o seu silêncio — por você.
  2. espaço para pensar: receber o que o mundo nos dá. Exemplo: iniciar o dia com sustos cotidianos, notícias sanguentas, qualquer tipo de toxicidade, agressividade pela manhã, estresse e pequenos traumas… situações que imediatamente te incomodam OU você quer reagir com algum tipo de violência, SILENCIE-SE. Esse exemplo é literalmente o “pare e pense”. Respire fundo, beba água, reaja diferente… Aceite que aconteceu algo que você não recebeu da melhor forma e você estará se protegendo ao perceber o que aconteceu na essência.
  3. identificar o que realmente importa para você: escolher sua batalha. Exemplo: geralmente, acontece comigo quando estoura alguma notícia de racismo ou violência contra a mulher, mas para você pode ser alguma polêmica do BBB ou da pandemia — após notícia polêmica, sua bolha “te cobra” a necessidade de se manifestar sobre. Você precisa colocar na balança da vida real: isso me traz ansiedade? eu fico mal depois de brigar por isso? estou bem? quero passar por isso de novo? preciso me expor nessa situação? Se suas respostas forem em sua grande maioria “não”, revisite a necessidade de se posicionar. Pronto, silêncio e recolhimento — cuide de você e de quem está perto de você. O silêncio pode ser o posicionamento que falta.
  4. limpeza de ruídos: sempre busque usar a tecnologia a seu favor. Exemplo: perfis que você ainda quer seguir, mas não quer ver: silencie. Aplicativos ou rede social que você usa porque está na moda e na verdade, não te acrescenta em nada: se desconecte. Pessoas e perfis que te trazem sentimentos de inferioridade, indignação e raiva: deixe de seguir. Limpe seu círculo de ruídos. Ah, “mas é família, não quero polêmica” — tem uma funcionalidade de não ver notificações em todas as redes. A rede é sua e você é responsável pela sua consciência.
  5. aliviar problemas mentais: cuidar da sua saúde como um todo. Exemplo: tenho trabalho de casa, os horários de trabalhar, cuidar da família e lembrar de mim, tem se misturado. Sou uma grande composição de ruídos. Escolha então, seu momento de ficar em silêncio — seja ele 15 minutos de meditação pela manhã ou 5 minutos de pausa no café da tarde. Reconheça-se como fonte de ruído pro mundo e para sua bolha… então, emane bons sons: compartilhe pequenas vitórias e se permita ver isso; apoie quem está do seu lado e seja uma boa pessoa… perceba que isso vai te fazer bem e vai encontrar o silêncio que você precisa.

Pensar no silêncio, naturalmente, pode te trazer insegurança… isso é normal. O silêncio pode te mostrar o melhor e o pior de você mesmo… mas, como sobreviver nesse mundo e tempo de tantas incertezas sem saber qual seu melhor e seu pior?! Entenda a importância do silêncio no seu cotidiano e estude-o como você estuda para outras atividades.

Vamos conversar! Me conta se já encontrou o silêncio e se ele faz parte do seu cotidiano? E não se limite: me chama se ainda precisa encontrar seu silêncio, posso te ajudar compartilhando minha experiência!

--

--

👩🏿‍💻 🖤 💪🏾 ✨

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store